Mostrando postagens com marcador resenha. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador resenha. Mostrar todas as postagens

geek love o manual do amor nerd




Título: Geek Love o Manual do Amor Nerd 

Editora: Gente
Ano: 2014
Páginas: 208
Gênero: Autoajuda
Autora: Eric Smith
Classificação: 1234




Eric Smith resolveu escrever o GEEK LOVE O Manual do Amor Nerd para auxiliar seus leitores sejam eles geeks ou não a se relacionarem com pessoas com o mesmo interesse. A principio você vai achar que o manual é direcionado para o sexo masculino, mas como ele mesmo diz o livro serve para os dois sexos. O livro é uma espécie de guia que ira guiar o leitor nessa jornada de relacionamento dando várias dicas sobre o assunto (muitas páginas ilustradas em formato de jogos). Logo no inicio o autor já nos da uma breve introdução do que vem por ai.
O autor refere-se ao seu leitor como sendo Player 1 – um jeito descontraído a  envolver seu leitor no formato ao manual.

Ele cita diversos personagens de desenhos, jogos, filmes, series como, por exemplo, Doctor Who, também autores que são exemplos de um bom ou ruim relacionamento no universo geek.

Mesmo a escrita sendo direcionada para os nerds, jogadores e viciados em series e HQs ele não perde foco do assunto que é submergir seu leitor a compreender o recado do livro.
Os truques que Eric nos ensina são de certa forma divergente ao que achávamos ser o certo, ele dá dicas do que se deve ou não se fazer e falar no início de um relacionamento. Ele ensina um geek, por exemplo, a puxar assunto sem ser desrespeitoso em uma sala de bate papo online, em redes sociais ou como ter uma identidade secreta. Enfim estamos falando do namoro moderno com a tecnologia dando uma mãozinha.  

O leitor vai descobrir também que às vezes a paixão não esta na aparência de uma pessoa, mas principalmente no que ela é por dentro. É bem legal a forma de como o autor aborda o assunto principalmente para o primeiro encontro pós bate papo online.

Ele ensina até o jeito correto de se vestir no primeiro encontro sem parecer ridículo e também truques de linguagem corporal para saber se seu alvo estar mesmo interessado em você e ficar atento ao seu próprio comportamento. E acima de tudo, como você deve superar obstáculos à frente até chegar ao seu alvo (princesa\príncipe) ele dá o exemplo das Zonas Especiais do Super Mario World.

Você também vai se surpreender com as dicas do primeiro beijo, sim, o Eric foi longe e resolveu dá uma forcinha pra quem nunca teve essa experiência (Uau).

Apesar de eu não conhecer quase nada de códigos de jogos, não ser nerd, e tão pouco me aventurar em relacionamentos do tipo, eu realmente me surpreendi com o livro já que tudo é valido e com tudo se aprende. Eu aprendi muitas coisas sobre o mundo virtual que ate então eu não conhecia, e principalmente descobrir que todo nerd tem sentimentos mesmo submerso no seu universo particular eles se relacionam e se realizam e acima de tudo são pessoas admiráveis.

Eu recomendo a leitura a todos que tenha interesse no tema relacionamento nerd, ou simplesmente para quem tem curiosidade em conhecer mais a fundo o universo geek (você vai perceber que nunca soube nada desses caras até ler o livro...), e para todos os amantes de jogos, series, etc. E todos os jovens em inicio de relacionamento, o manual é totalmente válido. Ah, pra quem interessar o manual também dica de playlist admirada pelos geeks, vale  a pena ouvir e se familiarizar caso você seja um geek. 

Só não sei se leria outro livro do gênero já que por alguns momentos me senti um peixe fora d’água.


Citações do livro que mais chamaram minha atenção:


 "Vire-se com o que Deus lhe deu! Quando as pessoas tiram conclusões erradas sobre você, baseados em superficialidades, não há nada melhor do que provar que eles estão errados." Página 40

"Apaixona-se por alguém no mundo virtual significa apaixona-se pelo que essa pessoa é, não por sua aparência." Página 57

"Estudos comprovam que mesmo em encontros casuais, qualidades internas como personalidade e inteligência também são mais importantes para compatibilidade do que externas, como aparência e status." Página 160








Resenha: dias de inferno na Síria




"Apertei os olhos com toda a força e decidi que, por maiores que fossem o meu sofrimento e a minha dor, não iria derramar lagrima alguma naquele lugar".
Página 121




Título: Dias de Inferno na Síria
Editora: Benvirá
Ano: 2012 (2º edição 2014)
Páginas: 285
Gênero: Narrativas pessoais
Autora: Klester Cavalcanti
Classificação: 12344









Klester Cavalcanti é jornalista, além de escritor. Em seu mais recente trabalho “Dias de Inferno na Síria”, premiado com o prêmio Jabuti 2013. O livro retrata os diversos acontecimentos que ele passou em um país distante com uma cultura totalmente diferente da nossa, além de não falar o idioma local, só inglês, Klester sofreu, se lamentou e superou as maiores provações,acredito que da sua vida.

"Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo". Página 108

Nessa obra Klester nos revela os segredos, aventuras e suas façanhas vividas dentro de um país distante dominado pela guerra. Logo nas primeiras páginas ele já da um breve resumo do que vem por ai de tudo que ele passou.  Levando o leitor a se envolver com sua escrita viciante.

"Diante do amor, a guerra ficava indefesa". Página 277


Tudo começa quando Klester é enviado à Síria através da revista Istoé (na época, empresa ao qual ele trabalhava como jornalista), sua missão era trazer uma reportagem investigativa sobre a guerra no país. Ele foi o primeiro jornalista a ir mais longe ao que se refere à guerra na Síria (nenhum outro jornalista até hoje se atreveu a ir tão longe quanto o destemido Klester). Mas, Klester levou tão a serio a sua estadia na Síria que resolveu ir além do que lhe foi proposto (tudo em busca de trazer a verdade, não apenas estatísticas), ele queria mais, mostrar a realidade ainda oculta a nós, sobre crianças, mulheres e idosos todos inocentes mortos por essa guerra desleal.

Com apenas seis dias de permissão para ficar na Síria ele teria pouco tempo para desmantelar todos os mistérios daquele país em um curto prazo de tempo. Mas o que ele não imaginava era que sua permanência ali duraria muito mais, e as lembranças dessa aventura lhe trariam marcas eternas.

Apesar de todo sofrimento ele foi corajoso e forte, Klester foi mais um inocente vitima da guerra, mas sobrevivente dela ainda mais forte, um verdadeiro milagre. Foi com muita determinação, persistência que ele chegou à cidade mais destruída pela guerra, Homs lá Klester vivenciou momentos inesquecíveis não só para a sua profissão, mas acredito que também para sua vida pessoal.

Os relatos, as experiências, as amizades construídas em meio ao caos, tudo isso chamou minha atenção nas mais de 200 páginas de um livro repleto de emoções, garra, igualdade, simplicidade e respeito. Klester foi autor de sua própria historia, superando os seus próprios limites.

É cenas fortes, quase um filme, só que da vida real, pois dava pra sentir que a cada desabafo dele existia certa ansiedade misturada ao desespero de se libertar o quanto antes daquele cárcere, mas ao final percebe-se que esse homem conseguiu trazer pra si não apenas momentos de dor, mas foi capaz de construir laços fortes de amizades onde ninguém jamais pensou existir.

Curiosidades sobre  a edição: o livro tras 8 páginas de fotos legendadas sobre a trajetórias de Klester no país. Mais fotos e vídeos no site www.benvira.com.br/diasdeinfernonasiria


 Um livro para ser lido e relido, para ser lembrado,nunca esquecido. Eu diria mais, essa é a historia do homem que viveu de novo. 


Um dos cantores citados por Klester, Lenine. Resolvi colocar aqui como forma de homenagem:
Lenine - Envergo Mas Não Quebro






resenha: insegurança no amor




"Insegura no Amor" explica, em linguagem fácil, como se formaram seus conflitos de relacionamento em primeiro lugar; o que nesse processo  dificulta tanto uma mudança e como superar esses obstáculos para desfrutar um amor seguro e duradouro". Página 14







Título: Insegurança no Amor
Editora: Gente
Ano: 2014
Páginas:208 
Gênero: Felicidade/Relacionamento
Autora: Leslie Becker-Phelps

Classificação: 1234

Quem pode ler esse livro: adolescentes, pais, casais, estudantes de psicologia. 



Hoje vamos falar de relacionamento, comportamento e tudo que envolve vida a dois. “Insegurança no Amor” é o primeiro livro da autora e psicóloga Leslie Becker-Phelps, ela vai colocar em evidencia tudo que envolve relacionamento, além de ressaltar a questão do apego e o principio da ansiedade em nossas vidas.

Eu sempre fui uma pessoa ansiosa (fui criada em um ambiente de pessoas ansiosas), e percebi que isso de certa forma afetou alguns de meus relacionamentos, se não, todos eles. Enfim,escolhi ler esse livro pois através da sinopse puder perceber que ele poderia me ajudar.  Me envolvi tanto com a leitura que acabei lendo junto com meu esposo (e até rimos de algumas situações semelhantes as nossas), foi uma experiência grandiosa para nós, como casal.


"É importante entender que a ansiedade relacionada ao apego não precisa ser uma resposta a eventuais abusos ou maus-tratos por parte de um dos pais; na verdade, na maioria das vezes não é." Página 13

Um dos temas principais mais abordados pela autora é sem duvida a questão da ansiedade relacionada ao apego sentimento que adquirimos desde a infância, Leslie nos revela como esse processo ocorre depois, já na vida adulta, e nos novos relacionamos. Por isso, o livro acaba abordando não só o relacionamento homem/mulher, mas principalmente, a família de modo geral, desde como fomos criados pelos nossos pais, até  o quanto isso pode afetar nossa vida seja para positivo ou negativo em futuros relacionamentos.


Também é exposto através de diversos exemplos reais (pacientes que a Leslie tratou em sua jornada como psicóloga) de como existem pessoas que sofrem literalmente por questões sentimentais, às vezes, por não saberem lidar com certas situações acabam se deixam deprimir e empurrando “com a barriga” o que era pra ser a melhor experiência de suas vidas, seja o namoro,noivado, casamento, relacionamentos familiares e ate mesmo amizades. Isso vira uma bola de neve, se não identificado e tratado com urgência. 

A leitura de modo geral, nos deixa ciente porque que algumas pessoas desencadeiam alguns sentimentos negativos em seus relacionamentos e até mesmo com entes queridos. Em cada capitulo você vai encontrar um ou dois exercícios que podem ser feitos a qualquer momento para você identificar que tipo de "apego" você tem nos seus relacionamentos. Como a própria autora já esclarece desde o inicio, o livro pode ser lido aos poucos, e em partes (sem pressa) - como se fosse uma terapia mesmo - já que essa leitura não é só teoria, você prática também seja pelos exercícios ou pela mudança de postura perante o seu parceiro. Tive minhas particularidades com o livro. ( ;

A sensação mais fiel do que senti ao ler meu primeiro livro do gênero “auto-ajuda” foi de estar lendo meu próprio comportamento (o mesmo desde a infância e depois a de casada e como mãe), enfim, um reflexo fiel da minha vida. Sem duvida, me mostrou o caminho, e logo identifiquei meu tipo de apego. 

Não esperava muito da leitura, mas acabei absorvendo tanto que até em certos momentos dividir meus pontos de vista sobre a leitura com meu esposo. Experiencia única! 

A leitura é recomendável a casais, pais,filhos e estudantes de psicologia, afinal em qualquer relação é preciso manter os pés no chão, baixar a guarda aprender a conviver com os defeitos e as diferenças do outro, nem sempre é fácil se manter firme seja qual for o tipo de relacionamento (casal,namorado,pai,mãe,filho,etc), sabemos que  o estresse existe todo nós estamos sujeitos a ele,mas se tivermos a direção (não a formula mágica) tudo pode se ajeitar quando menos se esperar já estaremos vivendo um relacionamento saudável e  seguro.

Em suma, achei que a leitura fluiu muito bem. A você que vai ler “Insegurança no Amor” saiba que esse livro vai aprofundar as questões sentimentais te fazendo refleti sobre o seu comportamento. É quase como uma terapia de casal, vai ficar ainda melhor se você puder ler junto com seu parceiro (a). tenho certeza que a  experiência será maravilhosa, e vocês irá perceber que não estão sozinhos, até porque os exemplos que a autora cita no livro são reais foram vividos pelos seus clientes (pessoas reais, como eu, como você), ou seja, na vida nunca seremos igual a ninguém, mas sem duvida todos temos defeitos. Porém estamos sujeitos a erros,e claro, a perdoar e ser perdoado (perdão e compaixão, um dos temas do livro). É preciso sempre dá uma segunda chance para o amor. 




resenha: garota interrompida




Título: Garota Interrompida
Editora: Única
Ano: 2013
Páginas: 192
Gênero: Biografia / Memórias
Autora: Susanna Kaysen
Classificação: 1234





“As vezes, o mundo do qual viemos nos parece vasto e ameaçador, tremulo e instável como uma imensa gelatina; outras vezes, é uma miniatura fascinante, girando, reluzente, em sua orbita. De uma maneira ou de outra, não há como descarta-lo.” Pagina 12



Vamos mergulhar no universo particular de Susanna Kaysen a partir dos anos 1960 quando ela tinha 18 anos, e tenta sobreviver em meio ao caos que se tornou sua vida e nos revela com riqueza de detalhes  tudo pelo qual ela passou, afinal foram dois anos dentro de um hospital psiquiátrico, dois anos sem liberdade,dois anos de sofrimento, dois anos de injustiça. São memórias fragmentadas de uma historia da vida real de uma jovem diferente das outras da sua época. Em certos momentos temos a impressão de estar lendo um diário, pois a autora explicita nele todos os seus sentimentos, as revoltas, desabafos , são fatos surpreendentes que nos faz refleti sobre alguns aspectos da vida.

Susanna tinha apenas 18 anos quando foi diagnosticada com “transtorno de personalidade” ou “transtorno de personalidade limítrofe”.Apesar de Susanna demonstrar ser uma menina esperta, inteligente e namoradeira, nada disso foi o suficiente para lhe tirar o peso de ter tentado o "contra sua vida" diversas vezes. E com base nessa situação entre outros fatores externos contribuíram para a sua internação.

“Contudo, a maioria das pessoas chega aqui aos poucos, abrindo de furo em furo a membrana que separa o aqui do lá fora, até aparecer uma brecha. E quem resiste a uma brecha?” Página 12

Sobre o suposto transtorno de Susanna, comprova-se que as pessoas com esse transtorno costumam oscilar de humor indo do normal á depressão, entre outros sentimentos extremos (isso ocorre geralmente na transição da idade passando da adolescência a fase adulta). 

A partir daí lá ela começou a se questionar sobre os possíveis motivos que de fato a levaram a internação, também questionava o comportamento das pessoas, do mundo. Ela também conheceu pessoas com problemas iguais ou piores do que o seu, pessoas como ela, destinadas a terem um futuro incerto em um lugar rígido e cheio de privações.


Em alguns momentos, o leitor vai se deparar com certos vocabulários pesados, algumas cenas chocantes, mas que se enquadram perfeitamente no contexto da história, tudo para nos salientar de como é viver dentro de um hospital psiquiátrico.


Confesso que teve alguns momentos, principalmente os que se tratavam dos sentimentos, que eu me identifiquei - principalmente na fase da minha adolescência - afinal quem nunca se sentiu excluído, rejeitado, mal interpretado ?

Penso que essa deveria ser uma leitura obrigatória para todos os adolescentes, e aos pais que tentam entender a “rebeldia” dos filhos. Fica a dica, pais leiam esse livro, poderá ser de suma importância na educação dos seus filhos.

Os capítulos não seguem uma ordem cronológica, ou seja, eles não são uma ordem dos capítulos anteriores, alem de serem capítulos bem curtos de 2 a 5 páginas no máximo.
Por fim, a história nos trás a tona alguns questionamentos, nos faz sentir como a personagem se sentiu, trás uma forte carga de sentimentos. 

Um curiosidade: o leitor terá acesso as fichas,relatórios e analise do comportamento dela dentro do hospital. E no finalzinho ela nos explica porquê do título "Garota Interrompida".
Existe o filme do livro, eu assisti alguns trechos e pareceu ser fiel a narrativa do livro, com a participação da atriz Angelina Jolie que também deixa seu comentário na capa do livro.

Uma história triste, inesquecível, emocionante e impactante principalmente pra quem estuda a mente humana. É uma leitura válida para os futuros psicólogos, psicanalista e psiquiatras.


“A questão era a seguinte: o que podíamos fazer? Podíamos pular da cama toda manhã, tomar uma chuveirada, vestir a roupa e ir trabalhar? Podíamos raciocinar direito? Podíamos deixar de dizer qualquer maluquice que nos desse na telha? Algumas podiam; outras, não. Aos olhos do mundo, porém, todas estávamos estigmatizadas.” Página 142


Trailler do Filme -





Você já leu esse livro? 
Gostaria de ler? 
Deixe sua opinião aqui nos comentários ( :


resenha: um milagre chamado grace





 

Título: Um Milagre Chamado Grace - O amor pode aparecer em diversas formas 

Editora: Única
Ano: 2014
Páginas: 288
Gênero: Ficção
Autora: Kristin von Kreisler
Classificação: 12345



"Tempos difíceis podem ser presentes. Eles nos forçam a mudar e nos guiam para onde devemos ir." Página 263


Logo que comecei a leitura percebi que a autora Kristin Von Kreisler iria me envolver com muita facilidade fora do comum. Nas primeiras paginas a minha curiosidade só aumentava. Lembrando que essa foi minha segunda leitura, onde o personagem principal é um animal. Mas a impressão que ficou foi a melhor possível. Me emocionei, rir e aprendi muito com essa leitura inesquecível.

A primícia da história se passa na bela cidade de São Francisco. Lila Elliot é uma mulher sonhadora, determinada em alguns momentos e em outros, insegura, medrosa. Ela tenta apagar de sua memória alguns traumas vividos, ela busca respostas pra quase tudo que se passa em sua vida, vive na corda bamba entre a realização profissional e o sonho de se consagrar uma grande artista plástica – sonho antigo – pra isso ela sacrificou momentos de lazer, uma vida estabilizada que seus pais queriam lhe proporcionar, tudo em nome do seu sonho, mas ela precisava escolher ou viver sendo sustentada por seus pais ou  escolher viver uma vida simples, ela escolheu a segunda opção. Para se sustentar Lila teve que trabalhar em um lugar que ela não gostava no escritório de relações publica. Afinal para conseguir viver um sonho é preciso sacrifícios, e mesmo que isso signifique viver sozinha triste e refugiada na sua bolha. Além disso, ela acabará de sair de um relacionamento fracassado com Reed seu ex-namorado (mais um trauma a se colecionar na vida de Lila), ok, ela provavelmente teria que superar mais esse obstáculo.  O fim do relacionamento não foi o seu pior momento,           Lila teria que superar um ainda pior, o trauma mais difícil que ela já vivenciou. Quase a beira da morte, Lila encontra o todo o apoio que precisa em sua amiga Cristina, uma amiga presente,carinhosa, e quase extinta nos dias de hoje (minha modesta opinião), Lila a tem como irmã, uma amizade intensa que vai além do tempo e das diferenças. Cristina é amante dos bichos, enquanto Lila tem eterno pavor deles.

Após o fato que quase tira a vida de Lila, Cristina se oferece a cuidar dela em sua casa. Antes do acidente de Lila, Cristina conta a ela que está cuidando temporariamente de um golden retriver, chamada Grace, que sofreu maus tratos pelo seu ex dono irresponsável e cruel. Logo Cristina pede a Lila para que fique com o cão por um tempo, só até enquanto ela e seu amigo Adam (quem resgatou a Grace) achem um lar para ela. Mas Lila parece ficar indiferente com já que ela tem um serio trauma de cães, sua reação já era prevista por Cristina que mesmo assim insiste para amiga superar mais esse trauma...

Se vendo “sem saída” Lila vai ficar com Cristina, e lá ela terá que conviver com Grace, pelo menos até se recuperar totalmente do acidente. E assim a história vai se desenrolando, entre um cão que viveu maus tratos por muito tempo, e uma moça sonhadora, insegura e traumatiza as duas terão que aprender a conviver juntas no mesmo espaço sem serem cruéis uma com a outra. Ambas tem um desafio, precisam curar suas feridas e seguirem em frente.
Também vamos conhecer o Adam, um homem encantador, aparentemente ele parece neutro na história, mas logo vai crescendo já que ele tem um forte laço de afeto com Grace e ela com ele, e assim a história vai envolvendo os três: Lila, Adam e Grace que juntos irão protagonizar momentos inesquecíveis de aventura, força, amor, coragem e o maior de todos os sentimentos o perdão.

Eu realmente fiquei impressionada com a história, porque quando eu li a sinopse vi que a história tinha tudo para ser boa, mas jamais imaginei que pudesse me surpreender tanto assim. Foram tantos os ensinamentos e lições de vida protagonizada pelos personagens envolvidos. Essa história poderia facilmente ser tão boa quanto foi com o livro e filme “Marley e Eu”. Conforme eu lia, eu ia montando os cenários em minha mente, essa história, sem duvida, daria um belo filme, daqueles de te fazer chorar por um bom tempo.
Vale ressaltar que o livro é carregado de citações reflexivas, parecia está falando comigo tudo a ver com o momento em que eu estava passando. E quando isso acontece em uma leitura só serve para te mostra o quanto você é pequeno perto de tudo que a vida representa.   
Em suma, a história merece dez estrelas, a autora foi feliz em escrever uma ficção tão real quanto se pode supor. Gostei do começo, meio e fim, esse é definitivamente um livro encantador.



Sobre a diagramação: eu achei uns quatro errinhos de digitação, nada que possa atrapalhar a leitura. A capa é fofa com a imagem da Grace (confesso, teve momentos na leitura em que eu voltava pra capa só pra tentar imaginar a Grace mais presente no meu imaginário).

E é inevitável, você realmente terá aquela sensação de que seu cão é mais que um animal, ele tem sentimentos a todo tempo e pede seu carinho seja com o olhar, seja em simples gestos. Ótimas experiências com esse livro. Recomendo principalmente para quem tem trauma de algum animal ou a você que simplesmente ama os bichos.


Citações: 

“Frustração tinha virado uma acompanhante, como se planejasse ser uma convidada permanente na mesa de jantar, sem deixar espaço para mais ninguém. Com a mão boa, Lila apertou parte do lençol em uma bola frustrada.” Página 104

“Perdão, como adoração, era uma expressão da natureza de Grace; Lila poderia brigar com ela, mas ela nunca guardaria rancor.” Pagina 133

“Lila, seu cérebro só ajuda ate certo ponto. Não é o único lugar para encontrar respostas. Você tem que se soltar e pensar com coração.”  Página 185

“ás vezes, coisas ruins acontecem a pessoas boas, não importa o que façam ou digam. Não dá para explicar. Não adianta tentar.” Página 231

“há muita coisa que não podemos esquecer, mas podemos perdoar quem nos machucou.” Página 244



Resenha: vítor e o invisível






Título: Vítor e o Invisível
Editora: SESI-SP (Coleção: Quem lê sabe por quê)
Ano: 2013
Páginas: 32
Gênero: Literatura Infantil
Autor: Luiz Bras
Classificação: 5/5



"Viajar no invisível, explorar o infinito". Página 22




A história é narrada a partir do ponto de vista de um senhor de setenta anos.
Vamos conhecer o protagonista e encantador Vítor que tem sete anos de idade. Um garotinho aparentemente comum, até que certo dia ele começa a vislumbrar um mundo quase imaginário não fosse pelas riquezas em detalhes.
Vítor diferentemente do senhor de setenta anos que tem muito medo do invisível e de tudo que é desconhecido, simplesmente se encanta e se deixar aventurar por esse universo até então desconhecido pra ele, mas isso não assusta o garoto muito pelo contrário aguça ainda mais sua curiosidade se deixando levar por esse universo encantador que ele mesmo separou e nomeou como: os “minúsculos e maiúsculos”. Vítor não tem medo, porque para enxergar o invisível não se pode ter medo e, sim coragem para encará-lo tão de perto, e melhor, vivencia-lo. Vítor era uma criança muito corajosa.




 "Vocês sabem, o invisível está em toda parte. Mas ninguém o vê, porque ele é feito de coisas muito pequenas." Página 7




Ele desvenda o universo dos átomos e moléculas que só é perceptível a partir de um microscópio muito potente, o mesmo que o seu tio “touro” tem em seu laboratório, já que ele é professor de ciências. O tio de Vítor tenta lhe convencer que é impossível enxergar essas moléculas sem a ajuda de um microscópio, no mínimo muito potente, mas Vítor não está convencido desse fato já que ele ver a olho nu o que o seu tio não consegue ver.

Vítor é mais uma criança que ver beleza e saber em tudo, sonhador, mas capaz de ver além do que os olhos comuns podem ver, ele é mais uma criança capaz de viajar pelo o universo unilateral e vivenciar experiências únicas e inimagináveis, mas que com certeza permanecem por muito e muito tempo em sua memória, até que um dia essa criança cresce e necessita vivenciar tudo isso outra vez. Ou aprender a viver o invisível.

O livro trás uma mensagem particular pra cada um.  Talvez você o julgue pela capa, e tirará logo sua conclusão do tipo “esse é só mais um livro comum para crianças”, sim você acertou, só que, além disso, você percebera logo nas primeiras paginas a interação perfeita entre um senhor de setenta anos que nos conta a história, e uma criança de sete anos que está vivenciando em um mundo aparentemente inexistente, e como eles reagem as percepções e sensações do mundo particular de cada um, mas que de alguma forma se igualam no decorrer da história.



Concluo mais uma história com a sensação de encantamento e aprendizado, revivendo momentos da minha infância (saudades desse tempo). Talvez o Vítor possa ser o personagem que nos mostra o cenário de outra vida onde nenhum homem será capaz de nos dizer como é de fato estar lá, do outro lado (depois de fechar os olhos para sempre). Mas se for exatamente como Vítor vivenciou, então será maravilhoso poder tocar as estrelas e conhecer as galáxias.

Li o livro para minha filha ela se encantou, a cada página ela me fazia perguntas sobre o que via nas ilustrações (que ficaram bem desenvolvidas, por sinal), ela ouviu a história toda com atenção muito interesse, o que é muito bom.



Esse livro foi um  presente da Editora SESI-SP, em parceira com o evento 5º Encontro de Blogs de Letras  ;) Meu muito obrigada a vocês pelo privilégio de ler mais uma história infinita, adorei a leitura e com certeza minha filha vai ler para seus futuros filhos ... 


Resenha: Saga Encantadas - Veneno - Livro 1








“a garota que podia conquistá-los com algo tão simples quanto uma maça. Tudo era tão fácil para a bela, adorável e perfeita Branca de Neve.” Pág. 13




Título: Saga Encantadas - Veneno - 1º livro
Páginas: 224
Ano de lançamento: 2013
Editora: Única
Autora: Sarah Pinborough






Uma releitura da história da Branca de Neve, de um jeito diferente. Totalmente adulto e recheado de surpresas que você jamais poderá imaginar.



E, aí você já pensou em ler a fábula da Branca de Neve, só que quase do avesso da história original? Uma das mais contadas no mundo encantado das princesas? Pois bem, só que em “Veneno” a autora foi mais longe, ela recriou uma Branca de Neve não tão ingênua assim, ela é capaz de fazer coisas que não é típico de uma princesa, uma delas, é suas cavalgadas pela floresta ou suas roupas nem um pouco convencional para época, enfim ela é uma moça comum, porém com alguns comportamentos rebeldes para uma princesa, criada na realeza. Sua madrasta- a Rainha má – que se casou com o rei contra sua vontade soube muito bem se aproveitar de todo seu poder, dominadora, autoritária e um pouco ingênua, ela pode ser ainda mais cruel que a fabula que conhecemos, ou não (isso será desvendado ao longo da história – mas creio que cada um tirara para si qual a verdadeira identidade e intenção da madrasta), além de ser muito bela e ambiciosa.

“a beleza tinha uma magia toda própria” Pág. 21

 Já Branca de Neve, a princesa sempre bela e invejada por muitos, principalmente pela madrasta mesmo não se distanciando da beleza de Branca de Neve, e poucos anos mais velha que ela. Ainda assim ela carrega consigo seus feitiços mais sombrios, mas de contra partida, penso que essa madrasta tenha sofrido sérios problemas afetivos, ela se mostrou – pelo menos foi o que eu sentir– uma pessoa carente em busca de preencher seu vazio, além de chamar atenção, só que ela o fez tudo errado (achando ser o certo), e prejudicando as pessoas a sua volta, e talvez, sem saber, ela até os amava tanto que acabou fazendo as coisas de um jeito errado na tentativa de “protegê-los”. E ao final, ela sempre se arrependia dos seus atos, mostrava ter um coração, não tão sombrio quanto parecia.

“a rainha tinha tentado se desculpar, mas Branca de Neve nem deu atenção...” Pág. 63

“... e o coração, pesado com coisas que ela não compreendia.” Pág. 65

O pai de Branca de Neve (o rei) é chamado para uma guerra que durará muito tempo, e enquanto ele ficará ausente à madrasta aproveita para executar seus feitiços mais sombrios, entre eles a tentativa de fazer uma emboscada maligna para Branca de Neve, mas o destino tinha outros planos para ela, até certo momento. Mas não satisfeita à madrasta sabe bem em que encontrar a forma “perfeita” para destruir de vez a bela princesa. Ela busca conselhos com sua bisavó, uma bruxa muito má.

Ao final da história, acredito que a autora conseguiu passar sua mensagem, ela nos faz refleti sobre o amor verdadeiro, finais felizes e se é possível viver de aparência por muito tempo. A cada página, você perceberá que nem sempre quem achava ser a pessoa boazinha ou perfeita pode simplesmente decepcionar suas expectativas. Assim como no conto de Veneno, é na vida real, vivemos aprendendo a conviver e temos a missão de descobrir quem de fato é o “vilão” da nossa vida., porque “ás vezes o inimigo pode morar ao lado.” Fica a lição!

A autora conseguiu prender minha atenção do inicio ao fim, nessa releitura inovadora e moderna, contando com riquezas de detalhes, a vida da Branca de Neve e todos os personagens principais. Fazem parte da história: os sete anões (companheiros e cúmplices inseparáveis de Branca de Neve), o caçador vítima da madrasta, o príncipe nem tão encantado assim, o rei pelo qual a madrasta dominava com seus poderes de sedução, o espelho falante, e uma personagem a mais, a bisavó da madrasta (a erva daninha).  



Minha impressão final é a melhor possível, mas ainda sim percebi que não houve grandes mudanças, pensando no todo da história original, pois muita coisa se manteve igual, foram alguns pequenos detalhes que foram mudados dos personagens principais. Mas a surpresa que está por trás do príncipe foi o que alavancou a história, mesmo porque agente nunca espera esse tipo de coisa de um príncipe. E por isso, eu dou quatro estrelas para a história, também levando em consideração a criatividade da autora, nos trazendo algo inovador sobre contos de fadas.









A saga continua só que recontando a história de outras princesas. O próximo livro é Feitiço (conta a história da Cinderela), e de cara você já vai poder ler o primeiro capitulo da história no próprio livro de Veneno. O terceiro livro da saga é Poder (sobre a Bela Adormecida), tenho certeza que a autora caprichou ainda mais nesses próximos contos. Vamos nos surpreender, de novo, com a história mais moderna possível sobre a vida daquelas que fizeram parte da nossa infância, só que com uma linguagem direta e sem muitos rodeios totalmente, para adultos. Recomendo essa saga para maiores de 16 anos. 









O vídeo bem curtinho e bacana que a Editora Única fez  apresentando o livro. Adorei a música de fundo. 

Aperte o Play 



Breaking Bad: Serie que recomendo



Acho que o tempo de novelas já se foi há tempos, pelo menos pra mim, o negocio agora é series. Series de suspense e, drama, é exatamente assim que vejo Breaking Bad ( a química do mal ), calma,antes que você pense que gosto de drogas... Não, nunca poderia! Mas por que gosto da serie? Porque há muito tempo não sentia tanta emoção e expectativas sobre assistir uma serie de televisão, atualmente reproduzida na Rede Record a serie vem conquistando cada vez minha atenção.


Do Que Se Trata a Serie:

Conta-se a história de um professor de química (Walter), um ex pesquisador brilhante. Mas que descobre um câncer raro e, a partir dai sua vida muda totalmente, tanto que ele começa a produzir (ou a "cozinhar", como ele mesmo costuma dizer) drogas (metanfetamina), ele usa de seus conhecimentos em química para elaborar ao lado do seu aluno viciado (Jessie). Juntos os dois formam uma "parceria", começam a vivenciar vários momentos perigosos produzindo a droga dentro de um trailler, além dos perigo ocultos, a ambição deles só tende a aumentar. 
E, juro eu já dei boas risadas em vários momentos, já que Walter e Jessie discutem o tempo todo disputando o dinheiro entre outros motivos banais e, por não terem experiencia em vender  droga tudo a parceria entre eles se tornam cada vez mais complicada e, acaba virando piada. É impossível não da risada com as constates trapalhadas desses dois. Sério, vale a pena. Acho que já tem um mês que a Record vem exibindo a serie, todos os dias (segunda a sexta-feira) as 23:30h. 
Recomendo muito! Você vai  se pegar refletindo sobre questões: familiares, relacionamento e, outros assuntos. 
Sou viciada na serie e, vou comprar todas as temporadas, certeza que vou ; )))


Informações sobre a serie:

Breaking Bad é uma série de televisão dramática norte-americana criada e produzida por Vince Gilligan. A série foi exibida originalmente nos Estados Unidos e no Canadá pelo canal de televisão por assinatura AMC.



  • Primeiro episódio: 20 de janeiro de 2008



  • Episódio final: 29 de setembro de 2013




  • Resenha: O pequeno príncipe






    Título: O PEQUENO PRÍNCIPE
    Páginas: 91
    Ano de Lançamento pela editora: 2009
    Editora: Agir
    Categoria: Fábula
    Autor: ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY

    Onde Comprar: Submarino | Americanas 


    “O teu pequeno planeta, bastava apenas recuar um pouco a cadeira. E, assim, contemplava o crepúsculo todas as vezes que desejavas...” Pag. 24
    “É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas. Dizem que são belas! Do contrario, quem virá visitar-me¿ Tu estará longe... Disse a rosa.” Pag. 34



    “ Aqueles que eu toco devolvo a terra de onde veio, mas tu és puro e vens de uma estrela . Disse a serpente, ao peque no príncipe” Pag. 58

    O livro é direcionado para as crianças, mas fica fácil perceber que ele é totalmente direcionado a nós, adulto. 

    O pequeno príncipe vive em um planeta distante e, muito pequeno. Ele dividia seu pequeno espaço com uma rosa (que ele mesmo cultivou e, três vulcões). Em seu planeta, ele vive a admirar as coisas simples, como por exemplo, uma flor e seus espinhos. Mas em é em sua jornada a outros planetas que o, principezinho conhece pessoas diferentes, entre elas um vaidoso, um bêbado, um empresário ... Ou seja, ele percebe que as pessoas grandes são “estranhas”. Cada uma com a sua particularidade, porém todas vivem sem tempo pra nada que não seja cuidar de suas próprias vidas, esqueceu-se de cativar e, de se deixar ser cativado. Uma boa reflexão sobre os dias de hoje. 
    Quando estamos ocupados demais para se deixar cativar...
    Li o pequeno príncipe, muito depois do que deveria ter lido, mas não me arrependo, porque definitivamente aprendi absorver as os sentimentos, os momentos, a vida sobre outros ângulos eu não fosse do meu ponto de vista, adulta. Talvez se eu o tivesse lido quando pequena, não teria surtido tudo de bom que aprendi, a partir de agora. 

    O pequeno príncipe, na minha vida ( depois de 24 anos de idade), valeu muito apena. E veja que interessante, eu tive o privilégio de ler para minha filha (de apenas 4 anos). Ela ouvia a história e, vez ou outra me perguntava: “mamãe, o pequeno príncipe mora com as estrelas, o sol, a lua¿... Mamãe, eu adorei o desenho do elefante filhote...” São momentos como estes que me pego pensando em como é bom ser criança e, levar a imaginação para lugares distantes – talvez como o do pequeno príncipe – no seu planeta único, com uma flor e sua redoma de amor. Com perguntas e respostas puras sobre a vida, sobre as pessoas grandes. Sejamos sempre uma criança em busca de perguntas com respostas sábias.

    A história me despertou muitos questionamentos, um deles é que estou perdendo tempo com coisas fúteis quando na verdade o mais belo da vida tem passado por mim sem que eu ao menos tenha parado e admirado. 

    É como disse a sábia raposa “A gente conhece bem as coisas que cativou. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo já pronto nas lojas. Mas, como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me.” Pag. 67


                 



    Um livro extremamente reflexivo, e diria mais, filosófico. Por muitos momentos me fez refleti sobre a vida que eu levo o tempo que disponho a minha família, a mim mesma...

    Nessa vida o que vale de verdade são os momentos com as pessoas que amamos, a atenção que damos a elas, o tempo que disponibilizamos a nós mesmo (amor próprio),a vida, ao próximo,enfim essas coisas que o pequeno príncipe ensina, mas é sem duvidas o essencial da vida. 
    Com certeza eu vou reler muitas e muitas vezes essa história, para não esquecer nunca que na vida se leva apenas o essencial, o amor que cativamos.